Estudos

Devemos ter paciência com o discipulado

Cuidar de um novo convertido requer paciência. Na verdade muita paciência. Às vezes passamos até por situações de inconformidade, por que gastamos tanto tempo querendo ajudar e não vemos o novo convertido crescer da maneira que gostaríamos.

Acompanho um novo convertido que ainda não é batizado com o Espírito Santo que de vez enquanto demostra algumas atitudes de crendices, tradições religiosas, simpatias e outras atitudes exotéricas como antes de sua entrega ao Senhor Jesus. Por mais que a sua entrega ao Senhor Jesus seja verdadeira, sim, eu acredito, mas são hábitos que ainda estão no processo de libertação.

Exemplos: Fazer ou sugerir outros simpatias. Ler horóscopos, decifrar sonhos (ah! sonhei com dente, alguém vai morrer), sonhei com cobra, vou jogar no bicho, entre outros.

Ele tem a noção de pecado, mas demora a entender que esses hábitos, por mais que não estão escritos na bíblia com os nomes que conhecemos, não convém ao Cristão.

O Apóstolo Paulo passou por uma situação muito parecida com os Gálatas, como podemos ler no capítulo 4, 8-19. Onde posso citar alguns trechos:

8 Antes de conhecerem a Deus, vocês eram escravos de supostos deuses que, na verdade, nem existem.

9 Agora que conhecem a Deus, ou melhor, agora que Deus os conhece, por que desejam voltar atrás e tornar-se novamente escravos dos frágeis e inúteis princípios básicos deste mundo? 

10 Vocês insistem em guardar certos dias, meses, estações ou anos. 

11 Temo por vocês. Talvez meu árduo trabalho em seu favor tenha sido inútil.

Mas mesmo assim, Paulo tinha paciência com eles e com o passar dos versículos nós vemos a sua preocupação:

19 Ó meus filhos queridos, sinto como se estivesse passando outra vez pelas dores de parto por sua causa, e elas continuarão até que Cristo seja plenamente desenvolvido em vocês. 

20 Gostaria de poder estar aí com vocês para lhes falar em outro tom. Mas, distante como estou, não sei o que mais fazer para ajudá-los.

Enfim, sabemos que é assim. É uma luta declarada a velha vida, tanto do novo convertido, como para quem o está discipulando.

Que possamos aprender com o Apóstolo Paulo e com o Espírito Santo como lidar com que está no discipulado.

Alexandre Fernandes
Cristão da Universal