Zaqueu o Grande

Um dos meus personagens bíblicos preferidos não são aqueles que pararam o sol, ou fizeram fogo do céu cair, ou que derrubaram muralhas e abriram o mar, não são aqueles que derrotaram gigantes ou desbarataram exércitos, apesar de respeita-los e muito, pois manifestaram a grandeza de Deus aqui na Terra, mas o meu personagem preferido era um que nem cristão era até então, e pasmem…não operou nenhum milagre sequer, o meu personagem bíblico preferido é Zaqueu.

Toda vez que medito na sua história eu acabo viajando…pensado em muitas coisas acerca desse homem. Ele era um publicano, o chefe deles, publicanos nada mais eram do que cobradores de impostos, como se fossem auditores da receita federal nos dias atuais, eram odiados pelo povo, ainda mais se o publicano fosse um judeu escolhido pelo império romano para cobrar impostos dos próprios judeus.

Zaqueu não era um publicano qualquer, mas ele era o chefe dos publicanos, autoridade máxima na “Receita Federal” do Império Romano em Jerusalém, odiado ferrenhamente pelo seu povo, do mesmo jeito em que os deputados federais são odiados pelo povo brasileiro, assim como os políticos são vistos pelo povo brasileiro como ladrões, corruptos, ricos, avarentos dentre outros adjetivos pejorativos, assim eram os publicanos no meio de Israel, perseguidos pelo povo e pela casta de fariseus religiosos.

Mas mesmo Zaqueu sendo odiado, ele vivia alheio ás criticas e aos olhares enfurecidos do seu povo, isso porque ele tinha poder, poder que lhe foi atribuído por um dos impérios mais poderosos que já existiu na face da Terra, o Império Romano.

Zaqueu representava a espada opressora de um império poderoso, que exterminava com violência os seus opositores, poder….o poder deste mundo estava sob as suas ordens, Zaqueu era um homem muito poderoso.

É o que acontece com os políticos hoje em nossos dias, eles entram na politica não somente pelo dinheiro que possam ganhar, há empresários bilionários que não precisam de dinheiro e mesmo assim entram para a política,  o dinheiro não é suficiente, eles querem muito mais, querem poder.

Além de muito poder, Zaqueu era muito rico, isso porque geria uma máquina de cobranças de impostos encima de toda atividade comercial de Israel, além da participação no pagamento dos tributos, os publicanos liderados por Zaqueu, chantageavam os comerciantes defraudando os mesmos em busca de mais lucro.

Humanamente falando Zaqueu era um homem realizado, tinha dinheiro, riquezas e poder, Zaqueu tinha sede por isso, aliás, o dinheiro e o poder não saciavam a sua sede, ele queria mais, imaginando que o seu vazio interior seria saciado se chegasse ao ápice de poder e riquezas, Zaqueu é muito parecido com as pessoas materialistas de hoje, que em prol do dinheiro e poder, vendem as suas próprias almas, achando que depois dessas conquistas terão paz e felicidade.

Porém Zaqueu não tinha essa paz, Zaqueu não era feliz, ao ver e ouvir um homem, um profeta sendo seguido por uma multidão, Zaqueu ficou curioso, provavelmente ele pensava: “Se as multidões O seguem, é porque Ele proporciona algo para esse povo”, Zaqueu era negociante, ele mexia com cálculos, ele sabia quando uma oportunidade cruzava no seu caminho, e Zaqueu viu em Jesus essa oportunidade, a oportunidade de conseguir algo que ele mesmo não sabia o que era.

Compelido por essa visão de oportunidade, Zaqueu não pensou duas vezes antes de subir em uma árvore para enxergar essa oportunidade, Zaqueu não conhecia o Senhor Jesus, mas queria conhece-Lo, por isso… mesmo trajado de poder, riquezas e glória, mesmo cingido de uma reputação, Zaqueu se humilhou diante do povo que tanto o respeitava e temia subindo em uma arvore, isso foi uma grande humilhação, ele se despiu de todo orgulho, de toda arrogância, ganancia, vaidade e ambição, Zaqueu se despiu de tudo que tinha sentido na sua vida ao subir naquela arvore, porque dentro de sí tinha uma grande sede de encontrar paz e descanso que o seu dinheiro e poder não lhe proporcionaram…

Não esperou  ser reconhecido por ninguém do seu povo, não esperava ser atendido por um Santo Profeta, mas recebeu a seguinte resposta do Senhor Jesus:

“E quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa.”